É muito comum tomarmos um remédio para dor de cabeça, azia e dor muscular para alivio imediato do incomodo. Muitas pessoas tem uma caixinha de medicamentos em casa para quando alguém passar mal. Quem nunca indicou um remédio ou não tomou um comprimido para algo que o amigo deu?

Muita gente não sabe que se automedicar pode ser muito grave e até mesmo fatal. Os remédios não funcionam da mesma forma em todo mundo. Têm casos de alergias, interação com outro remédio, condições de saude e etc. que pode impedir de você tomar o mesmo medicamento que o outro tomou.

Com muitas informações na web e a falta de veracidade de algumas, algumas pessoas estão se automedicando para “se prevenir” do coronavírus. Isso é um grande risco a saúde, pois como não há uma cura ainda, os remédios que auxiliam na melhora dos pacientes devem ser sempre indicados por um médico. Todo individuo pode sofrer de efeitos colaterais e ter maiores problemas de saúde. Veja os principais riscos de se automedicar:

INTOXICAÇÃO

De acordo com a Anvisa, os medicamentos que mais causam intoxicação são os analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios, pois são de fácil acesso e a maioria da população tem em casa.

ALERGIA

Não é atoa que os médicos perguntam se você é alérgico a algum medicamento. Há composições no comprimido que causam crise alérgica grave e que pode até ser fatal.

MELHORA FALSA

Alguns medicamentos podem mascarar um sintoma que pode ser causado por outro fator. Isso faz com que o desaparecimento do sintoma nos engane e nos cega para o verdadeiro problema de saúde.

INTERAÇÃO COM OUTROS MEDICAMENTOS

Outra pergunta que é bem comum no consultório médico é sobre estar ingerindo outros medicamentos, pois a interação medicamentosa pode anular o efeito do outro remédio e até potencializar o efeito que não é desejado, causando problemas maiores.